O Meliponário

A importância das abelhas: porque sua redução é tão grave

As abelhas são conhecidas por sua importância econômica na produção de mel desde tempos remotos, utilizado como alimento e adoçante. Também é muito conhecido o própolis, substância com diversas propriedades farmacológicas, que as abelhas extraem da natureza.

Entretanto, sua importância é muito maior do que isso. Sua extinção seria uma catástrofe planetária e mesmo a redução que se observa hoje em suas populações têm tido grande impacto ecológico e econômico.

A razão disso é que as abelhas polinizam a maior parte das plantas, que não se reproduzem sem elas. Todas as plantas que têm flor dependem da polinização para se reproduzir. No processo da polinização o pólen é transferido da estrutura masculina para a feminina, ocorrendo assim a fecundação. Daí resultam as frutas e as sementes que, ao germinarem, dão origem a novas plantas e a continuidade da espécie. Dessa forma, o desaparecimento das abelhas resulta no desaparecimento daquelas espécies que dependem da polinização, tendo um impacto direto e de grandes proporções na biodiversidade.

Ao se pensar em termos de alimentação e economia alimentar, a importância das abelhas é também gigantesca, pois dois terços da nossa dieta vêm de plantas polinizadas como, por exemplo, a abobrinha, o pepino, a cebola, a laranja, o pêssego, entre inúmeras outras. A produção desses alimentos é severamente afetada com a redução das abelhas. A polinização também é vital para a reprodução de plantas usadas para alimentar o gado e outros animais. Entretanto, é bom salientar que há também alimentos de origem vegetal cuja polinização é feita pelo vento, como o trigo, o arroz ou o milho.

Tem-se notado um impacto nas populações de abelhas em todo o mundo, sendo notada a redução na sua biodiversidade e quantidade, com consequências preocupantes. Acredita-se que um dos fatores mais importantes é o uso de pesticidas por muitas décadas. Entretanto, a perda de habitats naturais, a redução de áreas florestadas e o aumento das áreas urbanas podem ser motivos importantes. As mudanças climáticas também estão promovendo alterações nos ambientes naturais que prejudicam a permanência das abelhas.

Uma consequência direta dessas alterações é a redução de plantas com flores adequadas para a polinização. Com menos flores, as abelhas não têm como se alimentar e passam a ocorrer em menor abundância ou mesmo desaparecem de certas regiões.

Esse é o caso do Parque CienTec da USP, onde o Meliponário apenas se mantém porque são disponibilizadas soluções nutritivas toda semana. Visando um repovoamento sustentável na região, estamos promovendo, na área ao lado do Meliponário, o plantio de árvores com flores adequadas para alimentação das abelhas nativas sem ferrão. Estas, por sua vez, deverão polinizar as flores, propiciando a multiplicação dessas plantas.

Por estar em uma região florestada, muito úmida pela ocorrência das nascentes do Rio Ipiranga, este é um local onde as abelhas com certeza irão se desenvolver bem.