Luneta

O telescópio refrator Zeiss é um dos marcos do Parque CienTec, por ser um objeto que guarda em si a memória da astronomia paulistana. Inicialmente instalada no Observatório de São Paulo, na avenida Paulista onde atualmente se encontra o MASP (Museu de Arte de São Paulo). Era equipada com um espectroscópio de grande dispersão e com um micrômetro para o exame das protuberâncias solares. O refrator foi uma das melhores e mais modernas ferramentas de estudo astronômico que São Paulo possuiu por muitos anos.

Muito da história da luneta Zeiss se confunde com a própria história da astronomia em São Paulo e com a história do Parque CienTec. Em 1921 a luneta Bardou, que era utilizada até então pelo Observatório de São Paulo, foi substituída pelo telescópio refrator equatorial Zeiss com 175 mm de abertura e distância focal de 267 cm. Com uma construção alemã, trazia tudo de mais moderno na época. É a mesma luneta que encontramos hoje no Parque CienTec.

Com a necessidade de mudar o Observatório de São Paulo, localizado na Avenida Paulista, e com o início da construção do que viria a se tornar o Instituto Astronômico e Geofísico no Parque do Estado, foi construído um prédio especial para abrigar o refrator Zeiss, mesmo local onde se encontra o refrator hoje em dia.

Em uma visita ao telescópio Zeiss no Parque CienTec pode-se ver todo o potencial que ele ainda tem a oferecer. Por sua construção impecável, o telescópio mostra uma capacidade ótima de observação, embora seja uma tecnologia ultrapassada nos dias atuais. Mais do que isso ele é uma “memória viva” da astronomia de São Paulo e do Parque CienTec.

Prédio construído para abrigar o telescópio refrator Zeiss. Referência da Imagem: Marques dos Santos, Paulo. Instituto Astronômico e Geofísico da USP: memória sobre sua formação e evolução. São Paulo: Edusp, 2005. p. 185.

Vemos que a importância do telescópio refrator Zeiss ultrapassa os fins acadêmicos. Sendo uma das mais importantes ferramentas astronômicas do século passado, e ainda mais sendo parte da história de uma astronomia em desenvolvimento no Brasil que busca alcançar os patamares de excelência.

Foto mostrando o telescópio refrator Zeiss, com uma câmera posicionada na lente ocular.
Referência
da Imagem: Matsuura, Oscar Toshiaki (Rio de Janeiro). Museu de Astronomia e Ciências Afins (Org.). História da Astronomia no Brasil. Rio de Janeiro: Cepe, 2013. Vols 1 Cap. 13. (Arquivo IAG).

Referências:

Matsuura, Oscar Toshiaki (Rio de Janeiro). Museu de Astronomia e Ciências Afins (Org.). História da Astronomia no Brasil. Rio de Janeiro: Cepe, 2013. Vols 1 e 2.

Marques dos Santos, Paulo. Instituto Astronômico e Geofísico da USP: memória sobre sua formação e evolução. São Paulo: Edusp, 2005. p. 185.

Navegue na apresentação abaixo para conhecer mais sobre o funcionamento da Luneta:

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Confira algumas imagens captadas com o auxílio da Luneta Zeiss.

Autoria: Rodrigues, C.; Damasceno, H.; Klafke, J. Araújo, L.; Bassini, A. (2020) Luneta.

Créditos detalhados

Autores:

Caio Rodrigues Barbosa

Henrique Damasceno

Júlio C. Klafke

Lucas Silva Araújo

Ailton Marcos Bassini (bassini@usp.br)

Apoio técnico:

Pedro de Oliveira Gruppelli

Luca Hermes Pusceddu