Solos do Brasil: Cambissolos

Foto: Marcos Gervásio Pereira. Produtos da decomposição de riodacitos, Água Doce-SC.

Os solos brasileiros se classificam em 13 classes contidas no Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos (SiBCS). Essa diversidade é decorrente da grande extensão territorial do país, o qual apresenta diferentes condições geográficas que influenciam diretamente na formação de diferentes solos. Fatores como clima, geologia e manejo determinam as características químicas, físicas e morfológicas do solo.

A nossa série "Solos do Brasil" traz agora os cambissolos. Do latim "cambiare", trocar; conotativo de solos em formação (transformação).

Ocupando uma área de cerca de 2,5% do Brasil, os cambissolos podem ser encontrados nos planaltos orientais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, onde têm grande importância devido aos seus elevados teores de matéria orgânica e alumínio extraível; no Nordeste e Acre, onde apresentam uma elevada fertilidade natural; no Sudeste, desenvolvido a partir das rochas ácidas e no Centro-Oeste, desenvolvido a partir dos arenitos e quartzitos.

Os cambissolos apresentam uma grande variabilidade geográfica e constitutiva do seu material de origem, o que proporciona uma ampla variação da composição química e granulométrica (dimensão das partículas de um solo). Além disso, têm a característica do desenvolvimento incipiente, que consiste na pouca diferenciação dos seus horizontes, ou seja, as características morfológicas como cor e estrutura se diluem entre si.

Portanto, o uso prático deste tipo de solo depende muito do seu material de origem e dos seus processos de transformação. A variabilidade constitutiva permite essa grande variabilidade de uso como a exploração de alumínio no Sul e a agricultura no Norte do país.

Aprenda mais na nossa página Solo na Escola: https://parquecientec.usp.br/passeio-virtual/solo-na-escola

Santana, M.; Azarias, V. (2021) Solos do Brasil: Cambissolos.