Solo na escola

Fonte: Profª Deborah Oliveira.

Você já se perguntou de onde vem o chão que nós pisamos e como ele é formado? Perguntas como essa são investigadas no espaço Solo na Escola do nosso Parque CienTec.

Primeiro, imagine que o nosso Planeta Terra é uma maçã. A fina casca da maçã corresponde à Crosta Terrestre, a parte mais externa do Planeta no qual nós habitamos; a polpa da maçã, seria todo o Material Magmático, composto por minerais em altíssima pressão e temperatura. Já as sementes equivalem ao chamado Núcleo Terrestre, a camada mais profunda e quente do nosso Planeta.

Em certos momentos, devido às diferenças de pressão e temperatura, os minerais no interior do Planeta Terra se associam e se direcionam à camada mais externa até encontrarem uma saída, por exemplo, um vulcão. Ao entrar em contato com a parte externa do Planeta, esses minerais se resfriam e formam rochas, que registram de forma permanente o campo geomagnético de quando o material ainda estava quente. A partir daí sofre um processo erosivo em que chuva, temperatura, ventos e outros agentes (como microrganismos) vão degradando essa rocha, depositando suas partículas, que em associação com materiais orgânicos como restos de animais e vegetais formam o solo.

Portanto, o solo é composto por quatro elementos principais: minerais, água, ar e matéria orgânica. Essa configuração nos permite realizar diversas atividades como agricultura, construção civil e desenvolvimento de recursos. Entretanto, nos dias de hoje, o uso dos solos está cada vez mais prejudicial à sua dinâmica: poluição, exploração intensiva de recursos e construções em áreas de risco vão degradando esses materiais de forma acelerada e podem se voltar contra nós na forma de contaminação, enchentes, deslizamentos e etc.

Por isso, a sua manutenção e preservação é de extrema importância para o bem-estar da natureza e de nós, seres humanos.

Aprenda mais na página do Solo na Escola do nosso Passeio Virtual.

Autoria: Santana, M. (2020) Solo na escola.