Panorama da geração de energia solar no Brasil

É do conhecimento de boa parte da população que a captação da energia solar é menos agressiva ao meio ambiente que o uso de outras fontes de energia como as de termelétricas, hidrelétricas ou de combustíveis fósseis como o petróleo, gás natural e carvão.

Em diversos países da União Européia e também na América do Norte, já existem leis, regulamentações e normas para esse setor da economia que é o da energia solar. Isso ajuda com que vendedores e consumidores tenham mais facilidade para implementar esse serviço em residências, comércios e até mesmo na agricultura e pecuária.

No Brasil, infelizmente o cenário não é o mesmo. Mas existem muitas pessoas com vontade de mudar isso.

No dia 8 de junho, brasileiros do ramo de vendas do kit para instalação de painéis solares, consumidores e demais cidadãos, se reuniram em frente ao senado pedindo a aprovação do PL 5829/19, que institui o Marco Legal da Microgeração e Minigeração Distribuída, o Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE) e dá outras providências.

Atualmente no Brasil existem 500 mil pontos de usinas solares, que são basicamente, qualquer propriedade que gere sua própria energia a partir das placas fotovoltaicas. O que essas pessoas desejam é que haja uma regulamentação específica para o uso da geração distribuída (GD).

As placas solares têm pelo menos 25 anos de vida útil, o que faz o investimento com o kit ser extremamente rentável e gerar uma diminuição no valor geral da conta de energia elétrica. Apesar do alto investimento inicial, estima-se que os custos se paguem entre 3 e 8 anos a partir da instalação. Depois disso, é só desfrutar da sua autogeração de energia praticamente gratuita!

Além disso, as placas captam energia de uma fonte inesgotável, o Sol. O Brasil recebe uma alta incidência solar anualmente, tornando a geração distribuída uma matriz ‘’verde’’, que não gera gases de efeito estufa, contribuindo para uma atmosfera mais limpa e para diminuição das mudanças climáticas.

Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas a #geraçãodistribuída tem apresentado um crescimento rápido nos últimos anos, mesmo com o surgimento da pandemia. Acompanhe a tramitação do PL em favor da energia solar através do site da Câmara, pelo link: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2278950

Souza, F. (2021) Panorama da geração de energia solar no Brasil.

Autoria:

Fernanda Nicolli Martins de Souza


Revisão:


Flávio Augusto de Souza Berchez (Orientador)