Dia do Oceanógrafo / Dia Mundial dos Oceanos

Você sabe qual a relação que um oceano mais sustentável possui com o mundo terrestre?

Duas datas que possuem muito em comum são comemoradas hoje, 8 de junho. A primeira é o Dia Mundial dos Oceanos e a segunda é o Dia do Oceanógrafo.


A Associação Brasileira de Oceanografia (AOCEANO) escolheu em 2005 essa data como o Dia Nacional dos Oceanógrafos. Isso porque o dia já havia sido situado por muitas nações na Conferência sobre Ambiente e Desenvolvimento, promovida pela ONU em 1992 no Rio de Janeiro (já focada anteriormente em um de nossos posts recentes, dá uma olhadinha lá!)


Em 2008 foi oficialmente proclamado esse dia como Dia Mundial dos Oceanos pela Assembléia Geral das Nações Unidas. Também foi o ano em que se regulamentou a profissão de Oceanógrafo em nosso país por lei.


O mundo marinho corresponde a mais de dois terços da fração do nosso planeta. Ele é um forte agente no desenvolvimento do equilíbrio climático e atmosférico da Terra. Ao emitir grande parte do oxigênio que respiramos, podem ser considerados os pulmões do sistema vivo que habitamos (1).


Com o passar das décadas, o aumento de ações antrópicas prejudiciais aos oceanos vem gerando danos irreversíveis e o provável colapso do ecossistema. Um exemplo disso é o consumo desenfreado do plástico aliado ao seu descarte inadequado. Grande parte de nossa alimentação é retirada no mar e com ela, ingerimos grandes doses de microplástico (2).


A insustentabilidade atual reflete-se numa precariedade ambiental ainda mais gradativa nas próximas gerações, tanto para toda a vida marinha, como para o homem. E como as mudanças climáticas globais relacionam-se com isso? De acordo com o professor de Gestão Ambiental da USP, Andrea Cavicchioli, as alterações climáticas são um problema que parte da atmosfera e afeta os diferentes compartimentos:


“Sabe-se que os oceanos estão sofrendo ou poderão sofrer mudanças significativas em termos de temperatura, acidez e sua composição química. Por consequência, ocorre toda uma série de impactos com os habitats centrados nas águas oceânicas.

Presenciam-se efeitos interligados entre a terra, as águas e a biosfera, Por exemplo, o derretimento das geleiras afeta de maneira bastante dramática as águas oceânicas. Isso possui resultantes tantos nas próprias águas (em termos de vida aquática), mas também nas terras que serão inundadas, nos habitats humanos que serão perturbados dessa forma.” (3)


O mar não é obstáculo, é um caminho. Essa frase do autor brasileiro e navegador Amyr Klink chama atenção para uma importante questão. Somente o foco nas zonas costeiras, rios e lagos, não cumprem a demanda da subsistência da população mundial. Em nossos oceanos milhões de pessoas dependem dos recifes de corais para protegê-los de tempestades e ondas.


Oceanógrafos, profissionais cada vez mais atuantes nas áreas de pesquisa, ensino e tecnologia, são grandes protagonistas nesse processo.


A criação do Dia Nacional dos Oceanógrafos visou fortalecer a identidade da profissão interdisciplinar com competências de atuação ambiental não só em ambientes marinhos, mas também em ambientes terrestres por meio de instituições públicas e organizações privadas (4).


Esse trabalho é essencial em nossa atual crise climática. Enorme prestígio e reconhecimento, dos setores produtivos e das instituições públicas de nossa sociedade, devem ser oferecidos a nossos especialistas do mundo aquático. Por meio deles, podemos aprender maneiras de como preservá-lo de maneira mais sustentável e próspera!


Lembramos sobre a coleta de lixo em praias e oceanos, redução do plástico e conservação dos corais.bTambém trazemos a importância da conscientização ambiental sobre o valor dos mares para a vida em terra.

(5).


Recomendamos:


Série Nosso Planeta - produzida pela Netflix. Vivências descritas por oito astronautas que estiveram fora do planeta em satélites. O conteúdo da série baseia-se na ciência observatória. Debates sobre questões como por exemplo os oceanos serem o pulmão do planeta, ao contrário do acreditado ser nossas florestas. Narração por Will Smith.


Livro - Cem dias entre Céu e Mar - Amyr Klink. Narrativa real (em 1ª pessoa) da ida do navegador brasileiro. Sozinho, fazendo uma travessia a remo para ir de Paraty até a África durante cem dias, pela primeira vez no mundo através do Oceano Atlântico.


Referências:

  1. https://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?71543/Dia-Mundial-dos-Oceanos acessado em 16/05/2021.

  2. https://www.bbc.com/portuguese/geral-48518601 acessado em 16/05/2021.

  3. Conclusões geradas a partir dos documentos publicados pelo IPCC (Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas).

  4. Fruto do comentário do oceanógrafo Fernando Diehl, ex-presidente da AOCEANO por quatro gestões e atual presidente da ALICMAR – Associação Latino-Americana dos Pesquisadores em Ciências do Mar. - dísponível em https://www.aoceano.org.br/single-post/2018/06/08/8-de-junho-dia-mundial-dos-oceanos-e-dia-nacional-dos-ocean%C3%B3grafos-uma-homenagem-da-assoc acessado em 16/05/2021.

  5. https://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?71543/Dia-Mundial-dos-Oceanos acessado em 16/05/2021.


Confira nossas publicações e o glossário com as palavras deste mês: https://linktr.ee/ecossistemas_costeiros

Silva, A. (2021) Dia do Oceanógrafo / Dia Mundial dos Oceanos.