Ciclone bomba

Animação de 3 horas do Ciclone bomba próximo da região sul do Brasil em 1 de julho de 2020.

GOES-East/ABI, NASA (borders: OpenStreetMap contributors) / Public domain


https://www.nsctotal.com.br/noticias/o-que-e-ciclone-bomba


https://super.abril.com.br/ciencia/o-que-e-um-ciclone-bomba-como-o-que-causou-10-mortes-no-sul-do-brasil/

O “CICLONE BOMBA”

A tempestade que atingiu Santa Catarina denominado de “ciclone bomba”, ocorreu no dia 30 de junho de 2020, com rajadas de vento acima de 130km/h, e pode ser considerado como vento de furacão.

É oportuno esclarecer que o termo “ciclone” em Meteorologia, é um centro onde a pressão atmosférica é mais baixa do que ao redor periférico mais afastado, e quanto maior a diferença entre o centro e a região periférica, mais intenso é o vento que se origina. No Hemisfério Sul gira no sentido horário, e dependendo das condições atmosféricas favoráveis, a atividade do ciclone pode se intensificar muito rapidamente, resultando no chamado “ciclone bomba”, que tem a característica de se tornar uma tempestade muito violenta a curto prazo, como de fato ocorreu.

É formado pelo contraste entre o ar quente e úmido mais leve, flui para as camadas superiores da atmosfera, enquanto o ar mais frio e seco mais denso, flui para a superfície causando uma diminuição da pressão atmosférica. Na atmosfera, uma massa de ar quente e seco, não se mistura com outra massa de ar mais fria e úmida, pois ambas as massas têm densidades diferentes, a exemplo da água e do óleo que são substâncias de densidades diferentes, e, portanto, não se misturam também.

Cabe esclarecer que em Meteorologia, toda tempestade só se forma nos centros de baixa pressão atmosférica denominados de “ciclones”, que é onde a umidade do ar se condensa mais facilmente, podendo formar eventuais tempestades, o que significa que nem todo ciclone seja necessariamente uma tempestade. Também não se deve interpretar que um ciclone seja um furacão, embora todo furacão assim como os tornados, se formem sempre num centro de baixa pressão.

Autoria: Festa, M. (2020) Ciclone bomba.