Solos do Brasil: Gleissolos

Sedimentos argilosos e orgânicos do Quaternário. Foto: Humberto Gonçalves dos Santos. Cassimiro de Abreu-RJ.

Do russo "gley", massa pastosa, conotativo do excesso de água encontrado nesses solos.

Os gleissolos ocupam cerca de 4% do país, podendo ser encontrados em áreas que apresentam restrição de drenagem como nas proximidades dos cursos d’água, várzeas e baixadas. Distribuem-se nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Tocantins, Rio Grande do Sul e na planície amazônica.

Trata-se de um material muito argiloso, formado por processos de oxidação e redução em ambiente saturado por água e mal drenado (hidromórfico). Caracteriza-se pelo baixo grau de desenvolvimento e pela variabilidade de sua composição química e física porque seu processo de formação depende da natureza do material sedimentado em ambiente de várzea ou depressão. As cores predominantes são acinzentadas e avermelhadas, devido aos processos de oxidação do ferro.

Apesar do potencial para a exploração agrícola, estes solos apresentam limitações de uso e manejo, em razão da elevação do lençol freático durante boa parte do ano.

Santana, M.P.X.; Pusceddu, L.; Azarias, V. (2021) Solos do Brasil: Gleissolos.

Créditos detalhados

Autores:

Marcos de Paula Xavier de Santana

Victoria Azarias

Coordenação:

Luca Hermes Pusceddu - lhp@ib.usp.br